Bromil (Olavo Bilac) - Anos 20

O xarope Bromil, lançado pelo laboratório de Daudt de Oliveira no início do século 20, tornou-se conhecido como o “amigo do peito”, graças aos testemunhais do poeta Olavo Bilac. Em anúncios publicados em jornais e revistas entre 1906 e 1916, a pedido do também poeta Felipe Oliveira, proprietário do laboratório, Bilac exaltava as melhoras de sua bronquite graças ao medicamento. 

Depois, o Bromil foi exaltado por outro poeta. Bastos Tigre (criador do slogan “Se é Bayer, é bom”) foi contratado pelo laboratório e publicou na revista Dom Quixote, de 1918 a 1920, em capítulos, as Bromilíadas, uma paródia de Os Lusíadas, de Luís de Camões. Eram 1102 estrofes contendo 8.816 versos decassílabos com estrofação sempre na oitava rima. Sucesso de público e crítica, as Bromilíadas começavam assim:

“Os homens de pulmões martirizados
Que, de uma simples tosse renitente,
Por contínuos acessos torturados
Passaram inda além da febre ardente;
Em perigos de vida atormentados,
Mais de quanto é capaz um pobre doente,
Entre vários remédios encontraram,
O Bromil que eles tanto sublimaram.”

A marca hoje é do laboratório EMS.

Propaganda do Bromil com Olavo Bilac nos anos 20.

Fonte: Almanaque

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...