NO ESCURINHO DO CINEMA: os números por trás da tela

Artigo que analisa o perfil consumidor e ascensão dos número de frequentadores das salas de cinema no Brasil.

Pipoca em mãos, uma poltrona confortável, ar-condicionado na medida e a expectativa de assistir aquele famoso ator em cenas de ação repletas de adrenalina, a mocinha em apuros sendo resgatada pelo herói, a turma que proporciona momentos hilários, a outra que emociona e faz brotar água dos olhos … Esse é o poder do cinema!

Mas o cinema não é poderoso apenas para o público: esta mídia vive um grande momento de ascensão e demonstra números capazes de emocionar as agências de publicidade e seus clientes. A latente crise em vários setores da economia brasileira parece não queimar o filme quando o assunto é diversão na telona: de acordo com a ANCINE – Agência Nacional do Cinema – em 2014 as salas de cinema brasileiras tiveram alta de 4,1% em relação ao ano anterior, o que representa cerca de 155 milhões de espectadores.

Para 2015, a estimativa é ainda melhor – grande parte por conta dos “blockbusters” (filmes de sucesso estrondoso que arrecadam muito dinheiro) e continuação de franquias que fazem muito sucesso junto ao público. Tal qual a variedade de filmes programados para este ano é vasta também as opções que os anunciantes tem de se fazer presente neste momento tão favorável – já que não há dispersão por parte do público.

Ainda existe muita dúvida e curiosidade sobre que tipos de ação midiática o cinema contempla: a mídia cinema engloba a panfletagem no hall, mídia em tela, adesivo nas portas das salas de exibição, toilettes e chão, folders nos totens expositores, customização de sala – como capa de poltrona – ações especiais na sala e até mesmo personalização de óculos 3D, espaço no verso do ingresso, ação com intervenção de atores na sala, entre outras infinidades de possibilidades. Realmente são vários elementos que podem agradar os anunciantes.

Além do maior impacto por segmentação de público, há recursos que, quando bem utilizados, podem trazer uma experiência interessante, unindo, de uma só vez, som, imagem, cor e movimento. O recurso cinema 4DX (ou “experiência 4D”) vem atraindo muitas marcas e realizando ações interessantes, audaciosas e eficazes.

As empresas Natura (com sua linha ECCOS), a Ford (com o modelo Focus) e Nivea (sabonetes) usufruíram deste recurso e foram muito felizes nessa escolha.



CURIOSIDADES:

6.245.835 - Este é o número de espectadores que assistiram o filme baseado no best-seller de E.L. James – Cinquenta Tons de Cinza – nas cinco primeiras semanas de exibição no Brasil.

74.000.000,00 - Valor (em reais) arrecadado no Brasil com o filme Malévola – o segundo mais rentável em 2014 no país – atrás apenas de “A culpa é das Estrelas”.

49.533.218,31 - Valor (em reais) total de arrecadação do filme estrelado por Paulo Gustavo - Minha mãe é uma peça – que em 2013 foi o filme nacional mais assistido do país: o único brasileiro no TOP 10.

20% - Aumento do investimento publicitário na mídia cinema em 2014 (em comparação a 2012 e 2013). Os setores de bebidas, cultura, lazer, esporte e turismo foram os que mais investiram em publicidade no cinema em 2013.

90% do público do cinema pertence às classes B e C.

62.000.000 (e contando…) - Este é o número de visualizações do vídeo promocional do remake do clássico de 1976 - Carrie, a Estranha – no youtube. Um ótimo exemplo para mostrar como o cinema pode trabalhar com outras mídias.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...